Seguidores


Montagem de imagens do poeta Nivaldo Ferreira, gracias amigo!

14 de ago de 2013

TEUS VERSOS

Foto: Google

Teus Versos

Teus versos me encantam
Eles me dão vida
Preenche o vazio da minh´alma
Dá-me motivos para sonhar
Perceber novos tons
Sentir outros aromas.
Teus versos roubam de mim as tormentas
Me tiram do abismo em que me encontro.
Tuas palavras são ditas e escritas de forma passional
Avivando em multicores as matizes cinzentas e obscuras
Das incertezas, desalento e solidão que me rondam.
É gratificante passar os olhos por tuas letras e imaginar
Que todas foram escritas para mim, tão somente para mim
Pois sinto-as impregnadas em meu ser...
Confesso-te que elas me fazem bem e muito FELIZ.

Eriem Ferrara








1 de abr de 2013

TEU CORPO NO MEU

Foto: Google

Teu Corpo no Meu
Tua cabeça acostada em meu peito
afago delicadamente teus cabelos
na sensualidade de um e outro detalhe
as margens de cada curva
extasias-te na maciez da minha pele
sentimos a erupção de nossos pelos vibrarem
entre risos, murmúrios e peraltices
enquanto teu corpo no meu
desfrutamo-nos de momentos mágicos.
Eriem Ferrara


29 de dez de 2012

POR UM MUNDO MELHOR

Foto Google



Por um mundo melhor

Sejamos poetas com ou sem rima
Mas falemos de paz, carinho, amor
Sejamos gentis, solidários, amáveis
Passemos a frente
O que há de melhor em nós
Seja um largo sorriso
Um abraço forte
Ou um simples aperto de mão
Mas que sejamos gente
O mundo esta carente
Estamos todos carentes
Necessitamos maior integração,
Compreensão,
Amor!

Eriem Ferrara

22 de dez de 2012

NATAL É TEMPO...

Foto Google


NATAL É TEMPO

De aparar as arestas
da soberba, do individualismo
da indiferença, do orgulho.

Natal é tempo
de reflexão
de paz e união.

Tempo de arrancar
de nos o gosto amargo
dos ressentimentos
causados pelas mazelas
que perpassaram nossas vidas.

Natal é tempo de renovação
purificação da alma, da mente
e coração.

Tempo de paz consigo mesmo,
com a família e os amigos.



15 de dez de 2012

ACOLHE-ME

Foto Google


















ACOLHE-ME
Vago solitária
Por caminhos incertos
Sem eira nem beira
Ando triste, coração oprimido
Lágrimas incessantes
Turvam meu olhar, impedindo-me
Ver a luz do luar
E o brilho do sol
Sinto apenas alternância
Da temperatura em meu corpo
Que ora é fria
Como orvalho nas madrugadas
Outra é quente feito braseiro flamante.
________________ Acolhe-me...
No calor do teu abraço
Recoste minha cabeça em teus ombros
E afaga meus cabelos
Com teus beijos refrigera minh’alma
Pois só o teu amor
É capaz de revitalizar minhas energias
Trazer-me alegrias
Tirar de mim essa vontade de morrer. 

Eriem Ferrara

25 de nov de 2012

QUANDO CHEGA A PRIMAVERA

Foto Google


Quando Chega a Primavera

Quando chega a primavera
Colorem-se campinas e jardins
Também minh’alma se enfeita
Com pétalas de jasmins.

Quando chega a primavera
O luar se deita lá no alto
Excelsa e perfumadas matizes
Inebriam corações apaixonados.

Quando chega a primavera
Canto e danço... feliz
Ao som do vento em festa.

Quando chega a primavera
Colho uma flor de cada espécie
Guardo-as para momentos de amargura.




Eriem Ferrara

18 de nov de 2012

REDOMA DE UM LOUCO

Foto: Google


A REDOMA DE UM LOUCO

Projetada e esculpida em momentos de devaneios
Esperançado de possuir tua deusa
Cerrou-se um louco na clausura utópica
De uma redoma fria e intransponível.

De paredes secretas e espelhos disformes
Cego ficou o louco, na ilusão do concreto
Desvairado e cuspindo gemidos surdos
Inspiram-te tuas alucinações.

Momentos de pequenas lucidezes
Passeia no espaço etéreo das crenças
As responsabilidades já esquecidas
Vagueia vadiando aqui, ali, acolá.

De porta em porta “arrota” gentilezas
De volta à redoma – redoma do louco
Alheio a vida que presente se faz
Desdenha de tudo e todos.

Há sempre um “blefe” no ar
Ao sacro santo se julga capaz
Mensurar tuas nobres artes
Vertentes que formam seu caráter.

Regozija-se de tuas espertezas
Tuas verdades são todas mentiras
Ah! Quem não conhece se encanta
Com louco da redoma intransponível.

Eriem Ferrara

10 de nov de 2012

RAÍZES

Foto: Rosaleonor.blogspot


Raízes

Sou de fases...
Sou de lua
Sou de sol
Das quatro estacoes
Chuvas de maio
E seca do sertão
Rendados e remendos
Tecidos de algodão...
Também sou mestiça
Negra, mulata, tupi guarani...
Sou gente!
Sou raíz,
Sou seiva sangrante
Pessoa do mato, do asfalto
Sem grandes galardoes
Rubro e violeta tonalidades fortes
Traduzem meu animo
Opaco meu desanimo
Poesia aquieta o coração
Saudade o destroça
Enfim, sou imperfeita, indefesa
Como tu ou qualquer outro irmão
Todavia consciente
Sou parte integrante
Desse imenso universo.


Eriem Ferrara